Cinco Técnicas para Ativar sua Inspiração Criativa

Cinco Técnicas para Ativar sua Inspiração Criativa

Quem trabalha com Arte, seja na arteterapia, na arte-educação, no voluntariado, artesanato em oficinas criativas ou mesmo como hobbie, não pode deixar de cuidar da sua inspiração criativa. Não é porque trabalhamos com Arte que estamos ilesos da síndrome da folha em branco, não é mesmo?

Ao longo desse período treinando profissionais em meus cursos e oficinas observo cada vez mais que, por justamente trabalharmos com a Arte, estamos mais expostos aos momentos em que falta esse combustível precioso de nosso trabalho: a inspiração.

E por a Arte ser tão sutil e ser a voz do coração (veja meu outro post que falo sobre isso aqui) temos a obrigação prazerosa de cuidar da inspiração em nossas vidas da mesma forma que nos preocupamos em nos capacitar com técnicas artísticas, conhecer materiais e teorias.

Ao contrário do que se acredita, inspiração não é algo que caia do céu ou um prelúdio dos deuses.

Inspiração é uma conquista diária com técnicas que façam você se aproximar do que lhe dá prazer, acionando a válvula propulsora da criatividade.

Por isso, vou compartilhar aqui 5 técnicas que utilizo no meu dia a dia e também ensino as minhas alunas para reativar a Inspiração Criativa na sua vida!

  1. Entrar em contato com a Natureza

Ao estarmos em contato com a Natureza conseguimos observar formas, cores, movimentos que são ricas fontes de inspiração criativa. Ao observarmos uma simples folha ou flor podemos sentir sua fragrância, perceber inúmeros tons de cor, texturas e contornos e formatos.

Essa é uma das fontes que mais me inspiram.

Se estou estressada ou agitada e tenho a síndrome da folha em branco, corro para as minhas plantinhas ou vou caminhar em um parque ou jardim.

Em poucos minutos, com a inspiração a todo vapor.

O mesmo vale para usar os elementos da Natureza como suporte (um exemplo é a (pintura em folhas secas que ensino no meu ebook) ou ferramenta, como a técnica de pintar com flores, ensinada no meu curso online TOP Técnicas de Arte Criativa.

  1. Usar materiais artísticos diferentes para fazer a mesma técnica

Um ótimo exercício é mudar o material artístico que você utiliza para fazer uma atividade. No desenho com régua experimentei usar lápis grafite, lápis de cor, giz de cera, lápis aquarelável, pastel oleoso e até tinta guache. O resultado foi inspirador! Por mais que usasse a mesma técnica, ao mudar de material pude me relacionar e expressar de forma diferente. 😉

Então se você está habituada a uma mesma atividade, que tal mudar o material artístico que utiliza? Você vai se inspirar e surpreender!

  1. Meditar ou silenciar por 5 minutos e depois rabiscar

Ao meditar, pausar silenciar ao longo do dia, mesmo que seja somente por 5 minutos, você resgatará o contato com a sua essência. Sairá do estresse, da tensão e da exaustão mental que impedem o seu relacionamento com a inspiração criativa. Sairá do caos para a bonança. 🙂

Entre em contato com a sua respiração, faça umas três respirações profundas, observe o ar entrar e sair do seu corpo e, em seguida, rabisque em um papel, sempre com a atenção na sua respiração.

Faço esse exercício todos os dias e posso te garantir que funciona muito mais do que você pode imaginar!

  1. Caminhar como turista na mesma cidade e fotografar o que te encanta

Aproveite o seu dia a dia para se inspirar na sua própria cidade. Essa técnica vivenciei quando comecei a observar o trajeto que fazia há mais de cinco anos em uma rua perto da minha casa e não visualizava a beleza que ela me oferecia diariamente. Deixava passar, por estar com pressa demais para andar como turista na minha própria cidade. Quando comecei a me permitir encantar pelo o que estava ao meu redor (graças também à minha prática diária de Atenção Plena) vi a mesma rua se transformar aos meus olhos e passei a me encantar e fotografar o que me inspirava. Detalhes pequenos, mas preciosos e inspiradores.

Então, minha dica é para você fazer o mesmo. Se encantar na sua cidade, pela rua que você passa, pense que é um turista, pois quando visitamos cidades e lugares desconhecidos conseguimos perceber a beleza do local que a rotina nos impede de ver. 😉 Se quiser fotografe esses detalhes sem estresse e vá armazenando essas imagens inspiradoras para poder se inspirar nelas em dias não tão inspiradores.

  1. Ter seu Caderno de Rabiscos

Tenha um bloquinho para rabiscar sempre à mão! Essa dica é antiga minha, mas ela me salva muitooo quando estou sem inspiração para poder reenergizar minha fonte criadora. Levo o bloquinho comigo na bolsa e rabisco. Simples e eficiente! Melhor do que zapear no celular, te garanto! 😉

Essas foram só 5 técnicas para te ajudar a resgatar a inspiração criativa. Uma palinha do que venho ensinando nos meus cursos e oficinas, online e presenciais.

No meu treinamento online Oficina Criativa para Profissionais, por exemplo, dou de bônus um módulo completo com 7 Técnicas práticas para estimular a criatividade. Meu objetivo é  ajudar as alunas a recarregarem suas energias criativas. Para mim esse é um combustível fundamental no nosso trabalho e faço questão de ajudar as alunas a terem recursos para se inspirar diariamente na sua profissão.

Assista abaixo o vídeo  da LIVE! que fiz no Facebook na qual explico detalhadamente as 5 Técnicas e mostro meus trabalhos. 😉

Participe da Aula Inaugural Gratuita TURMA 5 - Oficina Criativa Profissionais

Vem conhecer todos os benefícios de uma Oficina Criativa e saber como montar sua própria Oficina na Aula Inaugural da Turma 5 do meu treinamento online Oficina Criativa para Profissionais.

Será online e gratuita, no dia 11/06, as 19h.

Essa é uma oportunidade única para você, que é arteterapeuta, arte educador, professor, voluntário ou profissional que deseja trabalhar com Arte e aprender a ativar a Criatividade e a Autoestima de crianças, adolescentes, adultos ou idosos, construindo sua Oficina Criativa, junto comigo. 🙂

Clique no botão abaixo e participe gratuitamente. ⤵️

Participar!

Ebook Gratuito: Três técnicas de Arte Criativa para ativar sua Criatividade

😓 Está cansada de buscar técnicas artísticas para suas aulas de arte ou sessões de arteterapia? Baixe AGORA o Ebook Três Técnicas Comprovadas para Ativar a Criatividade com a Arte Criativa e entre em contato com um método novo que ajuda a driblar o BLOQUEIO CRIATIVO de crianças, adolescentes, adultos e idosos.
Clique no botão abaixo e baixe seu E-Book gratuito. ⤵️
BAIXAR GRÁTIS AGORA!

Gostou desse post? Então compartilhe com os amigos e deixe aqui seu comentário.⤵️

Discutindo a relação com materiais de arte: carvão

img_carvao1

A minha primeira experiência com carvão foi apaixonante! ❤ Adoro desestressar com ele. 🙂

Com o carvão podemos deixar marcas no papel com risco intenso e ao mesmo tempo fluido, pois facilmente pode ser desconstruído, esfumaçado com o próprio dedo ou algodão ou esfuminho. É um material de fácil diálogo e não requer muitas habilidades para explorá-lo.

Você poderá perceber o que estou falando quando experimentar rabiscar com carvão. Verá que sua relação com essa atividade será outra. Por ser um material intermediário, construímos linhas, mas também podemos desconstruí-las, permite uma outra forma de sentir o rabisco ou desenho.

Quando estou me relacionando com esse material consigo trabalhar a maleabilidade que existe em mim, já que posso corrigir o traço a qualquer momento. Além disso, consigo diferentes tons e nuances com ele: do tom mais intenso ao mais claro.

Esse fazer de apagar e recriar ajuda a refletir que tudo e qualquer situação pode ser recriada, transformada. Nada é fixo na vida. Está em constante mudança e somos os criadores de nossa realidade.

Podemos escolher em deixar o traço como está ou recriá-lo dando diferentes formas e tons. Da mesma forma que em cada situação que vivenciamos. Não há quem diga que depende do nosso olhar? Se vemos o copo meio cheio ou meio vazio? Qual você escolhe? Com a atividade de carvão descobrirá aos poucos. 😉

O grande barato dessa relação com os materiais artísticos é que, despretensiosamente, ao lidarmos com eles, estamos olhando para nós mesmos também. Essa é a beleza da arte criativa. J

Existem diversas formas de carvão vegetal atualmente. Em bastões ou barra, lápis carvão, carvão em pó, barras com carvão e óleo (cretacolor), carvão em mina. Há ainda o carvão branco (maravilhoso para papéis pretos) e o  Art Chuncky, da Cretacolor, que possui 12 cores. Ele, usualmente, é um material barato (até R$10,00), porém existem modelos utilizados por profissionais que chegam a custar mais de R$ 100,00.

Você pode usar a borracha convencional para espalhar o carvão sobre o papel ou, se desejar, apagar completamente deve usar a borracha limpa-tipo, ela parece uma “massinha” e deve-se retirar um pedaço dela e esfregar na área que deseja apagar. Muito boa essa experiência de trazer luz ao desenho escuro do carvão, clareando as ideias!!!

Algumas de minhas experiências com carvão.

Algumas de minhas experiências com carvão para você perceber o efeito de contrastes e tons que ele proporciona.

O interessante é trabalhar com o papel poroso e texturizado para que o carvão possa ser melhor absorvido pelo papel. Para fixar o carvão, você pode usar fixador de cabelo (baratex \o/) que seu desenho ficará protegido.

Vou dar um empurrãozinho nessa relação. Experimente fazer a atividade abaixo:

  1. Arrume seu local de fazer arte e reúna o material: bastões de carvão, papel A4 (se tiver rugoso ou texturizado ou poroso, melhor), algodão, durex;
  2. Respire profundamente por três vezes. Inspirando e expirando o ar para se conectar a este momento de fazer criativo.
  3. Escolha uma música que lhe agrade (qualquer uma)
  4. Coloque a folha na sua frente e a prenda com durex na mesa, ligue o som e de olhos fechados, comece a fazer movimentos no papel com o bastão de carvão sentindo a música.
  5. Faça por quanto tempo desejar. Se preferir, cubra a mesa com ou plástico para não ter receio de rabisca-la e se desconcentrar. 😉
  6. Abra os olhos e veja seus riscos. Com o algodão vá suavizando os riscos. Você, agora, vai brincar de clarear áreas, fazer um degradé, do mais escuro ao mais claro. Veja quais riscos deseja deixar e quais deseja clarear.
  7. Repita esse exercício quantas vezes desejar. É muito relaxante. J

Comenta aqui o que você achou desse post e conta pra mim se já fez algum desenho com carvão? Compartilha com os amigos para eles também se inspirarem a fazer arte. 😉

Saia do estresse! Faça seu caderno de rabiscos!

post_caderno-de-rabiscos

“Um desenho é uma linha que saiu para passear”. Essa citação é do pintor suíço Paul Klee. Pegando carona nessa linda reflexão, vou contar um pouco porque tenho um caderno de rabiscos e quem sabe empolgar você para começar a ter o seu também. ☺

Todos os dias levo linhas e mais linhas para passear. Faço isso para liberar a minha mente da correria do dia a dia, uma sensação de quase meditação.

Rabiscar (doodle, em inglês) é um hábito saudável.  É quase tão importante quanto beber água todos os dias.

Você, com certeza, já experimentou essa sensação de desprendimento mental, rabiscando durante as aulas, no seu caderno, quando era adolescente ou em uma palestra ou ao falar no celular. Por segundos, você se desconectou e entrou num estado de esvaziamento da mente.

No meu caderno de rabiscos a única regra é deixar o lápis passear pelo papel sem exigências. Construo diferentes rabiscos sem pensar no que estou produzindo. Simplesmente, rabisco. 😉

Dá uma olhada, neste vídeo, como meu caderninho está ficando:

Vale tudo! Linhas tortas, retas, curvilíneas, arabescos, formas geométricas, riscos fortes, fracos, circulares… Uso o que estiver à mão para rabiscar: lápis grafite, caneta esferográfica, giz de cera, lápis de cor, bastão de carvão, canetas hidrográficas, caneta nanquim. Você pode usar o que quiser.

Carrego meu caderno (na realidade, bloco) sempre comigo. A consulta médica demorou? Pego meu caderno e começo a rabiscar. Bateu o estresse? Lá vou eu rabiscar um pouquinho e volto renovada! E por aí vai…

 

Rabiscar é contagioso. Depois que começamos não queremos mais parar! É como se você acordasse o seu potencial criativo dando para ele espaço para se expressar e, com isso, recebe de volta calma e bem-estar. #vidazen

Quer fazer o seu? É muito fácil! Segue os passos abaixo que te explico:

  1. Escolha um bloco ou caderno antigos que tenham folhas ainda em branco. Todo mundo tem um guardado. Procura aí que você vai achar!
  2. Junte o que você tiver em casa que possa te ajudar a rabiscar: lápis grafite, caneta esferográfica, lapiseira, lápis de cor…. Escolha um para ser o seu acompanhante em todos os momentos (lembre-se que o caderno de rabisco é igual celular, você não se desgruda dele ;))
  3. Pronto! Comece a rabiscar! Faça riscos no papel, não economize. Use mais de uma folha.
  4. Bateu vontade de escrever? Rabisca primeiro, depois escreve. O importante é você começar a liberar a mente de formatar seus pensamentos em rótulos. Inicie seus rabiscos, sem se preocupar com o que está fazendo.

Depois de uma semana, pelo menos, dê uma olhada no que você rabiscou. É incrível a experiência de visualizar o que você riscou. Muitas pessoas encontram padrões (formas repetidas) e seus rabiscos e por aí vão desenvolvendo mais rabiscos que com o tempo vão se tornando inspiração para outros trabalhos com arte.

Agora não tem mais desculpar para não fazer o seu! 🙌

Se você gostou dessa dica, compartilha com os amigos e deixa um comentário aqui para me incentivar a produzir mais conteúdo como esse.

Explosão de cores


explosaodecoresJá postei aqui no blog sobre a importância do rabisco e como é bom sentir a sensação calmante de rabiscar.

Uma outra forma de tranquilizar-se fazendo a arte criativa é a exploração de materiais sem qualquer cobrança de resultado. O importante é se permitir fazer experiências, misturando cores, criando texturas.

Se vivemos em um mundo cheio de pressões diárias, minha proposta para você, agora, é ficar uns minutinhos à vontade, sem cobranças e exigências.

Calma! Sei que para muitos, isso pode parecer assustador, porque estamos neste modus operandi que nos impede de relaxar e, realmente, é difícil sair desse papel para outro no qual o céu é o limite. 😉

Por isso, siga a minha dica e faça esta experiência:

  1. Para essa atividade vamos usar giz pastel oleoso colorido (você encontra em diversas papelarias da sua cidade. É um material de baixo custo.), folha A4, algodão e óleo Johnson;
  2. Comece, respirando profundamente por três vezes;
  3. Pegue a folha de papel e a cor que desejar do giz pastel oleoso e comece a rabiscar;
  4. Você pode ir trocando de cores;
  5. Sempre respire pausadamente na atividade. 😉 A respiração é muito importante ao fazermos qualquer produção de arte criativa.
  6. Depois de rabiscar, vamos começar a dissolver o rabisco! \o/
  7. Com um pouquinho de óleo no algodão, passe suavemente nas áreas que deseja esfumaçar. Meu conselho é que não pense muito e foque na sensação de dissolver o rabisco e no efeito visual das cores se misturando e dissolvendo. Tome cuidado para não molhar muito o algodão para não vazar o óleo pelo papel;
  8. Faça quantos experimentos desejar!

E, então, gostou dessa sensação? Eu sinto minha mente totalmente esvaziada, relaxada e tranquila.

Ah, a produção da imagem foi feita nessa técnica e denominei de explosão de cores. 😉

Deixe aqui seu comentário me dizendo o que achou dessa dica!

Rabiscando e desestressando!

Rabiscando e desestressando!


O simples ato de rabiscar proporciona esvaziamento mental. Quem já não rabiscou em um caderno e se perdeu no tempo? Você já experimentou essa sensação?

Rabiscar tem um efeito calmante. Isso mesmo, acalma a mente e nos deixa mais serenos. E ainda é melhor que isso: qualquer pessoa consegue rabiscar. Não é necessária nenhuma habilidade específica.

O rabisco auxilia também na construção da nossa expressão pessoal e de sentimentos.

Quer um exemplo?

Se estamos mais nervosos, rabiscamos com mais intensidade ou mais rapidez. Conforme vamos nos acalmando, eles tornam-se mais suaves.

Existem diversas técnicas para equilibrar a mente utilizando o rabisco.

Posso afirmar que rabiscar é um hábito saudável que todos deveriam cultivar: 30 segundos de rabiscos, com auxilio de respiração profunda e tranquilizante, permite que voltemos ao nosso centro de equílibrio.

Faça este teste:

  1. Pegue uma folha de papel (pode ser qualquer uma que tiver em casa ou no trabalho);
  2. Lápis de cor, caneta esferográfica, lápis grafite ou qualquer outro material para desenho (só não vale pincel e tinta ;));
  3. Respire profundamente por três vezes;
  4. Comece a rabiscar sem pretensão e continue respirando pausadamente;
  5. Se necessitar, pode pegar mais de uma folha e utilizar o verso da mesma;
  6. Faça a atividade no seu tempo. Aconselho, 1 minuto a 3 minutos. Mas se desejar, continue nesse momento do rabisco.

O que achou? O que percebeu em você? O que sentiu?

Uma dica minha é ter um caderninho de rabisco sempre contigo para parar pequenos segundos ao longo do dia e simplesmente rabiscar. Depois de um tempo, volte e veja como está seu caderno de rabisco. Você irá se surpreender com a Arte que criou. 🙂

Os rabiscos aí de cima fazem parte da minha coleção. Preferi fazer em folhas A3, para gastar energia e ficar mais zen. 😉

Deixe aqui seu comentário me dizendo o que achou dessa dica!